Dhaulagiri é a sétima montanha mais alta do mundo e é conhecida por suas encostas íngremes e terreno perigoso. É uma das montanhas mais icônicas do Nepal para viajantes aventureiros no sul da Ásia. Dhaulagiri tem sido escalado por muitos montanhistas famosos, incluindo Sir Edmund Hillary, que em 1953 foi o primeiro a chegar ao cume do Monte Everest, juntamente com Tenzing Norgay. No entanto, Sir Edmund Hillary não teve sucesso em sua tentativa de alcançar o cume da Dhaulagiri.  

 

Levando a Better Globe ao topo

Um dos alpinistas bem sucedidos que alcançaram o cume da Dhaulagiri é o sueco aventureiro e cliente da Better Globe, Tim Bogdanov. Em 1° de outubro de 2021, ele se tornou a primeira pessoa da Suécia a fazer a árdua jornada e chegar ao topo da Dhaulagiri em surpreendentes 8.167 metros acima do nível do mar.  

 

 

Com ele, levou a Better Globe e a Equator Moringa, um suplemento moringa de alta qualidade produzido e distribuído pela Max Health AS na Noruega. Este é um suplemento alimentar imensamente nutritivo, orgânico, e socialmente responsável, que temos o orgulho de chamá-lo de “nosso”. A Equator Moringa é feita das folhas das árvores de moringa, uma das espécies de árvores plantadas pela Better Globe Forestry Ltd.  

 

 

Conhecendo um explorador

Como você começou com a exploração e o que motivou você a começar a escalar montanhas?

— Minha primeira experiência com montanhas mais altas foi quando eu tinha 10 anos de idade. Eu estava fazendo trekking na Grã Canária com meus pais e esse foi o destaque para mim de toda a viagem. Eu realmente gostei da sensação de aventura e tenho procurado essa sensação desde então. Ou em uma bicicleta ou com as botas de montanhismo.

 

Como você se preparou para esta aventura, e quais foram os maiores desafios que você teve que superar para chegar ao topo da Dhaulagiri?

— Eu sabia que seria difícil então, tentei trihar o máximo de metragens verticais quanto eram possíveis antes da minha tentativa. Pouco antes de chegar ao ao campo de base da Dhaulagiri, fiz mais de 50.000 metros verticais, nos meses anteriores. Também foi muito treinamento nas encostas de esqui de Oslo e nos picos noruegueses de 2.000 metros no verão passado. Agora, esse é o meu novo requisito mínimo para futuros projetos de 8.000 m. Sem pernas fortes, é impossível escalar 8.000 m sem suporte.

 

O que a Better Globe significa para você e por que você decidiu levar a empresa ao sétimo pico mais alto do mundo?

— Eu faço parte da Better Globe desde 2008 quando comprei minhas primeiras árvores, e tenho visto a empresa dar grandes passos para seus objetivos ao longo dos anos. É uma empresa única que eu realmente gosto de apoiar por causa da importante função que serve com plantio de árvores, criação de trabalho, educação, apoio comunitário na África. Acredito que o trabalho da Better Globe é muito importante e é por isso que escolho apoiá-los.

Acompanhe o Tim na montanha pela etapa final ao topo da Dhaulagiri em 1 de outubro neste vídeo curto: https://youtu.be/TWom58iaOv8

 

Você também trouxe com você a Equator Moringa. Você sente que o suplemento pode ter ajudado você de alguma forma?

— Eu estava muito forte na Dhaulagiri nesta temporada. Eu abri um caminho de 300 metros na neve alta para ajudar os outros escaladores depois que uma pesada nevasca que tornava difícil subir a montanha e chegar ao cume. Eu nunca fui tão forte assim em altitude antes, e um dos novos produtos que eu uso é a Equator Moringa. Vou usá-la em minhas próximas expedições, pois faz parte do quebra-cabeça de manter um corpo altamente funcional.  

 

 

Que conselho você pode dar aos que querem ser exploradores?

— Aproveite a sensação de aventura, exploração e liberdade. Se você puder ajudar alguém no caminho, faça isso, ou apoie uma caridade local ou negócios na área que você está explorando. Pequenos atos de maneira coletiva podem ter um grande impacto. Especialmente em tempos de uma pandemia global.

 

Explorador premiado

Tim Bogdanov fez sua subida desafiadora ao topo da Dhaulagiri sem carregadores ou oxigênio portátil. Esta é uma conquista montanhosa que o coloca no círculo seleto de alguns indivíduos que foram capazes de fazer a escalada perigosa.

O aventureiro experiente tem uma lista muito longa de conquistas sob seu cinto, incluindo: 36 topos de montanhas com mais de 5.000 metros, das quais 4 eram de bicicleta; cerca de 55.000 km de pedalada com o propósito de viagem e aventura, visitando mais de 75 países; subindo os top 10 picos das Américas, e a lista continua. Ele também subiu a montanha Manaslu em 8.163 metros acima do nível do mar até a zona de cume tolerada e diz que voltará para um cume de verdade, talvez no próximo ano.

Não surpreendentemente, Tim Bogdanov foi nomeado “Aventureiro do Ano de 2013” na Suécia. Você pode conhecer mais sobre ele e seguir suas futuras aventuras em www.timbogdanov.com.